5 dicas para descobrir se o seu médico é cesarista

PARTO - PARTO NATURAL - PARTO NORMAL - PARTO HUMANIZADO - MÉDICO CESARISTA - VIOLÊNCIA OBSTÉTRICAMuito se fala em humanização do parto e no fim da violência obstétrica, mas o que tenho percebido é que muitas mulheres não fazem a menor ideia do que seria um parto humanizado ou como identificar a violência obstétrica, o que é normal, já que este é um assunto que se tornou pauta apenas de alguns anos para cá.

Eu mesma quando buscava meu VBAC (vaginal birth after cesarean ou parto vaginal após cesárea) ouvi muita gente falar sobre violência obstétrica, ou como poderia cair nas mãos de GO’s fofineos, mas que me encaminhariam para uma segunda desneCesaria. No final consegui meu Parto Normal, mas apenas alguns anos depois fui descobrir que havia sofrido violência durante o parto do Caio, já falei um pouco sobre isso aqui no blog e vale apena relembrar o texto:  Violência Obstétrica – Saiba o que é e como denunciar.

Então sempre que vou falar sobre parto normal com amigas e colegas, primeiro de tudo aconselho a buscarem o máximo de informações que puderem, que elas se empoderem, que realmente tenham certeza do que querem, e que procurem por profissionais que acreditem no parto normal de forma humanizada.

Uma das maiores dúvidas é:  “como saber se o médico escolhido não vai me encaminhar para um cesárea desnecessária?”, por isso e também a pedido de uma amiga muito especial resolvi escrever esse post.

Separei 5 dicas de como descobrir se o seu ginecologista obstetra é ou não cesarista! Confira:

  1. Pergunte sobre o parto: quando questionado sobre o parto normal, o médico cesarista acaba por soltar deixas como: “fique tranquila, ainda temos muito tempo pra decidir!“, “o parto normal é ótimo, mas a cesárea não é tão ruim quanto você pensa” ou a clássica ” Parto Normal? Claro que faço, desde que tudo esteja bem“.  Se seu obstetra já soltou alguma dessas fique atenta. Médicos que defendem o parto normal normalmente falam dele com empolgação, e sequer mencionam a cesárea no primeiro momento.
  2. Converse com quem já fez parto com ele: a sala de espera do consultório é uma ótima pedida, pois sempre existem as paciente de consulta no pós-parto. Pergunte sobre como foi o parto, se foi cesárea questione o motivo, razões como “cordão em volta do pescoço (circular de cordão)“, “bebê grande demais“, “meu primeiro filho foi cesárea, então ele disse que o parto normal não seria possível” ou ainda “você tem o quadril estreito demais e vai sofrer muito“, essas são apenas algumas desculpas para o obstetra te encaminhar a uma cesárea que poderia ser evitada.
  3. Doula: mesmo que você não tenha a intenção de ter uma doula no seu parto pergunte ao médico o que ele acha do trabalho das doulas, a resposta dele vai falar muito sobre ele. Se o médico te responder que não permite doulas acompanhando, ou que elas só atrapalham, ou ainda que “tudo bem desde que elas não interfiram na hora do parto” corra pra bem longe. Ele é um clássico cesarista.
  4. Faça uma lista: é isso mesmo, já vá na consulta com uma listinha de perguntas na ponta da língua. Perguntas como “e se passar das 40 semanas?“, “mas se o bebê estiver sentado?“, ou “circular de cordão é indicação pra cesárea mesmo?“, “episiotomia é necessária mesmo?”. A resposta dele a essas perguntas vão te falar muito sobre o tipo de médico que ele é.
  5. Plano de saúde: nem todo mundo sabe, mas os planos de saúde tem a obrigação de informar os percentuais de cirurgias cesáreas e de partos normais dos médicos do plano e não só isso, mas também do estabelecimento solicitado (conforme  dispõe a Resolução Normativa 368). Então antes de agendar com seu médico, já peça essa informação ao plano, eles tem o prazo máximo de 15 dias para te encaminhar essas informações de forma clara e por escrita.

E por último e não menos importante: é fundamental que você se sinta segura com sua escolha, afinal seu médico vai te AJUDAR (lembre-se quem faz o parto é a mulher) em um dos momentos mais importantes da sua vida: a chegada do seu filho a esse mundo.

Beijos


Veja outros posts similares:

O Nascimento da Olivia – Relato de Parto Normal Humanizado
Parto Normal x Parto Cesárea – Principais diferenças e indicações
6 dicas de como se preparar para uma parto vaginal após uma cesárea
5 sinais de que você esta em trabalho de parto
Baby Blues – Tristeza após o parto
Relato de um parto normal
Relato de um parto domiciliar
Parto Normal x Parto Cesárea {Minha experiência}


Siga o A Mãe Coruja no Pinterest (https://br.pinterest.com/blogamaecoruja/) e no Instagram para acompanhar diversas dicas e inspirações: www.instagram.com/amaecoruja

Author: Débora Nunes

idealizadora do amaecoruja.com, 31 anos, mãe da Clara, do Caio, e da Olívia! Entusiasta da maternidade real acredita que toda mãe deve se dedicar aos seus filhos sem deixar seus demais papéis (mulher, profissional, esposa, amiga, filha...) de lado.

Share This Post On

Deixe uma resposta